Graziela Medeiros

June 10, 2009

Novo Kit de tradução do Google

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 04:58

O Google estreou, nesta terça-feira (09/06), um Kit de tradução que combina a tecnologia de tradução da empresa com ferramentas para a edição de conteúdos.

O produto Google Translate permite que os usuários traduzam textos e o conteúdo de sites para diversos idiomas. O novo kit de ferramentas ajudará também os usuários que desejam editar o texto traduzido, explica o diretor de engenharia da área de desenvolvimento e pesquisas do Google India, Prasad Ram.

A tecnologia de tradução do Google compara as características do texto no idioma original com as do idioma para o qual será traduzido.  A edição dos textos traduzidos com a nova ferramenta ajudará a tecnologia a ser mais precisa.

Graças a uma parceria com a Wikipedia, os usuários podem fazer o download de um artigo para a ferramenta, traduzi-lo em um idioma local com o Google Translate, corrigi-lo e depois publicá-lo na enciclopédia online.

Para os profissionais, o kit inclui ainda um dicionário, um glossário e outros recursos. Os arquivos podem ser privados ou compartilhados.

O kit de ferramentas foi criado na Índia para ajudar os usuários do país a acessarem conteúdos em seu idioma, mas dá suporte a 47 idiomas no total.

http://translate.google.com/toolkit

Fonte: IDG News Service, de Bangalore, de 09/06/2009.
Veja também o vídeo sobre

Google lança ferramenta destinada a usuários do Outlook

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 04:23

O Google apresentou um novo software para facilitar que profissionais que usam o Outlook da Microsoft troquem o serviço por seus produtos online de comunicações e colaboração.

O novo produto permite que profissionais continuem usando o Outlook para e-mail e outras tarefas, mas a base da funcionalidade e o armazenamento de dados seriam movidos para o Google, ao invés de serem mantidos nos servidores internos da empresa que usa software da Microsoft.

O produto Google Apps Sync para o Microsoft Outlook está disponível imediatamente no mercado, como parte da já existente versão Premier do Google Apps –que custa 50 dólares por assinante, mas também está acessível gratuitamente para usuários do setor de educação e não-lucrativos.

O gerente do setor de produtos do Google Chris Vander Way afirmou que o novo produto não sinaliza que a empresa está desistindo de seus esforços para convencer empresas a usarem seu e-mail, o Gmail.

“Vemos isso como uma forma de fornecer uma escolha para usuários que prefiram fazer as coisas do jeito antigo do Outlook”, disse Vander Way.

Fonte: Reuters, publicada no Jornal do Brasil

Schwarzenegger apuesta por la enseñanza con Facebook y Twitter

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 04:12

El gobernador de California presenta un plan escolar para sustituir los libros de texto por recursos didácticos digitales.- Pretende reducir así el gasto presupuestario

El gobernador de California, Arnold Schwarzenegger, ha presentado un plan de ahorro mediante la apuesta por la enseñanza on line en detrimento de los libros de texto tradicionales, según informa la BBC. Con esta iniciativa, el gobernador pretende reducir el gasto anual en millones de dólares. Además, añade que al privilegiar el estudio digital los alumnos conseguirán una mejor formación.

California afronta un agujero presupuestario de 24.300 millones de dólares y el gobernador Schwarzenegger ha desechado financiar contratos cerrados tras el 1 de marzo. Cada céntimo Schwarzenegger señala que actividades digitales como Facebook, Twitter y descargar contenidos para el iPod muestran que los jóvenes son los primeros en adoptar nuevas tecnologías on line, y por lo tanto Internet es también la mejor manera de aprender en las clases. Desde el comienzo del nuevo año escolar, en agosto, los estudiantes de ciencias y matemáticas en los institutos de California tendrán acceso a textos on line que han aprobado una revisión de estándares académicos. El gobernador sostiene que los libros de texto digitales se pueden adaptar fácilmente, de manera que el aprendizaje se mantiene al ritmo del progreso. La principal razón por la apuesta digital de Schwarzenegger, sin embargo, es el dinero, según añade la BBC. California destinó el año pasado 350 millones de dólares a los libros de texto y ya no puede permitírselo. De manera que la administración estatal está aplicando grandes recortes para afrontar el déficit presupuestario. El lunes, el gobernador firmó una orden ejecutiva para retirar la financiación de los contratos firmados desde el 1 de marzo y para evitar que las agencias estatales acuerden nuevos contratos. “Cada departamento y agencia estatal detallarán cómo han gastado cada céntimo de los contratos, para que así estemos seguros de que el Estado está consiguiendo lo mejor para cada dólar del contribuyente”, ha anunciado Schwarzenegger. El gobernador republicano ha descartado imponer subidas de impuestos para afrontar el déficit. Los votantes rechazaron el mes pasado un paquete de medidas del gobernador para hacer poner coto al agujero presupuestario.

Fonte: El País de 09/06/2009

June 4, 2009

‘Cloud conputing’ veio para ficar

Filed under: Tecnologias — grazielamedeiros @ 16:26

Você abre o Gmail. Olhando as mensagens, descobre uma que veio do Orkut, vai até lá e vê recados, aceita novos amigos. Outra navegada pelo email e lá está um comentário em seu blog, esperando para ser moderado. Basta um clique para ordenar a publicação do comentário, confirmada por uma janela do Blogger. Aproveitando a deixa, você cria um novo post e, lembrando que está com uma foto nova no Picasa, puxa-a de lá para o post. Então, lembra-se de que viu um vídeo de rock raríssimo no YouTube. Normalmente, seria preciso pegar o link dele para embutir no post, mas, com a conta do Google recém-atrelada ao site de vídeos, basta achá-lo em seus Favoritos e postá-lo automaticamente em seu blog, num segundo post, que pode ser formatado de dentro do próprio YouTube. Finalmente, você decide escrever um texto. Mais um clique e o Google Docs se abre no browser, pronto para a tarefa.

Isto é o que se chama, lá fora, de cloud computing: o uso de programas e serviços totalmente online, sem se que você se preocupe com o que está salvo em sua máquina. Por acaso, os serviços citados acima são todos do Google e estão reunidos sob uma só identidade, mas o mesmo poderia ser feito com o Windows Live, reunindo Messenger, Hotmail, Spaces, Office Live e assim por diante. Hoje, aos poucos, o sistema operacional está sendo substituído pela internet na função de plataforma sobre a qual rodam os programas que usamos. “Cloud” (nuvem, em inglês) na verdade, é uma metáfora para a internet, que mudou para sempre o jeito de ser da computação.

Este ano, a internet como a conhecemos, através da World Wide Web, fez 20 anos, embora o conceito inicial remonte aos anos 60. Sir Tim-Berners Lee, que criou a WWW e o primeiro website, acredita que tudo isso vai culminar numa internet mais solidária. Para ele, a Web 2.0 ainda frustra porque há hoje muitas diferenças entre softwares, mas a próxima geração verá uma internet em que teremos mais controle sobre nossas informações pessoais, que hoje ainda ficam muito à mercê das empresas. Mas Berners-Lee vai além. Ele prevê uma internet neutra (“onde possamos rodar a aplicação que quisermos, sem discriminação quanto a quem somos ou o que estamos fazendo”, diz em seu blog) e inteligente (“em que os computadores sejam capazes de analisar todos os dados na web”).

Por falar em serviços integradores, um dos segredos por trás da nuvem é a virtualização, tecnologia que substitui servidores e demais máquinas físicas e as digitaliza, compactando-as ao mesmo tempo. A VMWare, bambambã no setor, já oferece até test-drives gratuitos dos serviços de computação em nuvem para seus clientes.

– A virtualização torna a cloud possível, e através dela compram-se softwares como serviços e até desktops como serviços, isto é, em vez do PC, você leva uma versão virtual dele, acessável pela rede e devidamente adaptada para o seu trabalho – explica Arlindo Maluli, consultor da VMWare para a América Latina. – Hoje este desktop virtual (o serviço é chamado Mobile PC) é majoritariamente um serviço para empresas, mas lá fora já vemos usuários finais se valendo dele.

Ver texto na íntegra em: http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2009/05/04/cloud-computing-veio-para-ficar-755678152.asp

May 29, 2009

Um pequeno passo na estrada da informação

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 03:00
RIO – O Brasil atingiu este mês a impressionante marca de 60 milhões de computadores em uso, tanto no mercado corporativo quanto no doméstico. Significa dizer que, seja em casa ou no trabalho, um em cada três brasileiros tem acesso a um computador. O peso desse dado, colhido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), fica ligeiramente mais leve quando se leva em consideração outro estudo, divulgado em março pelo Fórum Econômico Mundial, que classificava o Brasil em 59º lugar no ranking anual que mede a disponibilidade e o uso de tecnologias de informação e comunicação (como o acesso a telefones celulares e serviços de internet). Ao que parece, o brasileiro tem cada vez mais acesso às máquinas, mas ainda está longe do mundo virtual proporcionado pela grande rede – seja pelo preço cobrado pela operação, pela baixa qualidade da telecomunicação oferecida ou pela total indisponibilidade do serviço em muitas regiões.

De acordo com a 20ª Pesquisa Anual da FGV, realizada pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (Eaesp), a base ativa instalada no país era de 50 milhões de computadores no ano passado. A previsão é de que o número de terminais em uso no país deve chegar a 100 milhões ao longo de 2012, o que representará média de um computador para cada dois habitantes – estatística comparável à de países desenvolvidos.

O estudo, realizado com 5 mil empresas de grande e médio porte, mostra ainda que as companhias brasileiras gastam cerca de 6% da receita líquida com Tecnologia da Informação (TI), o dobro em relação há 12 anos. E mesmo em face à crise econômica mundial, não há sinais de que o setor de TI vá encolher, de acordo com os responsáveis pela compilação dos dados da pesquisa. No varejo, aliás, percebe-se que o setor de eletroeletrônicos das grandes lojas é forte puxador de vendas, mesmo entre as classes menos favorecidas. Confirma-se, portanto, a tendência de que cada vez mais brasileiros manuseiem computadores de mesa, notebooks e palmtops.

Fonte: Jornal do Brasil

Blog at WordPress.com.