Graziela Medeiros

November 10, 2009

Britânicos elegem raio-X como a melhor invenção da história

Filed under: Cultura,Notícias — grazielamedeiros @ 06:45

Raios-X permitiram visualizar corpos sem precisar abri-los A máquina de raios-X foi eleita a melhor invenção de todos os tempos em uma votação realizada pelo Museu de Ciências de Londres. O equipamento, criado em 1895, recebeu 10 mil do total de quase 50 mil votos computados pelo museu, que pediu para os eleitores refletirem sobre o impacto da invenção no passado, no presente e no futuro. Ele possibilitou pela primeira vez a visualização do interior do corpo humano sem que fosse preciso abri-lo.

A medicina foi um dos campos que recebeu mais votos, colocando duas outras invenções no topo da lista: a penicilina (em segundo lugar) e a descoberta da estrutura do DNA (em terceiro). as maiores invençõesMáquina de raios-X Penicilina Modelo do DNA Nave Apollo 10 Foguete V2 Locomotiva a vapor ‘Rocket’ Computador ACE Máquina a vapor Carro Ford T Telégrafo Entre as dez invenções mais votadas estão ainda a nave Apollo 10, a máquina a vapor e o telégrafo. ‘Paciente transparente’ Andy Adam, presidente do Royal College of Radiologists, se disse muito feliz com o resultado, pois, segundo ele, a máquina de raios-X revolucionou a medicina. “A tecnologia na radiologia hoje avançou tanto que estamos chegando à era do ‘paciente transparente'”, afirmou. Para Ben Bradshaw, secretário de Cultura, Mídia e Esportes, a escolha do público mostrou “nossa curiosidade insaciável por saber como as coisas funcionam”. A eleição foi realizada pelo Museu de Ciências de Londres para marcar o seu centenário. Exemplares dos objetos mais votados estão expostos no local.

as maiores invenções

  1. Máquina de raios-X
  2. Penicilina
  3. Modelo do DNA
  4. Nave Apollo 10
  5. Foguete V2
  6. Locomotiva a vapor ‘Rocket’
  7. Computador ACE
  8. Máquina a vapor
  9. Carro Ford T
  10. Telégrafo

Fonte: BBC Brasil de 04/11/09

July 1, 2009

Novo Portal Palácio da Cidade: a web a serviço da população

Filed under: Fontes de Informação,Notícias — grazielamedeiros @ 03:40

Não é novidade o crescente uso da Web e de ferramentas colaborativas como forma de participação na vida política de um país. Por aqui se tornou comum nos últimos dias o uso do Twitter para dizer ‘fora Sarney’ . Esse é apenas um exemplo das infinitas possibilidades de se ‘gritar’ por direitos e melhorias, mesmo que de maneira informal.

Alguns sites, especificamente os portais, permitem que a relação entre governo e população ocorra de maneira formal, direta e colaborativa. Um bom exemplo é o Portal oficial da Casa Branca, criado em 2009 no Governo de Barack Obama. No Brasil, cabe destacar o e-democria,  um portal de interação e discussão virtual da sociedade, lançado em julho deste ano e já citado aqui.

 Nesta segunda-feira dia 29 foi criado pelo Governo do Rio de Janeiro o Portal Palácio da Cidade.

No Portal aprecem as informações:

“O prefeito Eduardo Paes lançou em Botafogo, o portal do Palácio da Cidade, que entrou no ar às 14h desta segunda-feira, dia 29, com o objetivo de estreitar o contato entre o prefeito do Rio e a população.

O evento contou com a participação do secretário municipal da Casa Civil, Pedro Paulo Carvalho, representantes da IplanRio (Empresa Municipal de Informática) e de jornalistas, que puderam conferir, por meio de laptops, todas as ferramentas do novo portal, considerado diferente de tudo o que já foi feito até hoje, em termos de websites oficiais de governos no País”.

O que realmente tende a mudar é a relação do cidadão com o governo, que depois da Web e da Web 2.0 promete não ser mais a mesma.

Conforme o Jornal O Dia o Portal permite  acessar o site de casa, do trabalho, do celular ou de uma lan house, e ficar informado sobre tudo o que a Prefeitura está fazendo para melhorar a qualidade de vida na Cidade. Além disso, o visitante poderá enviar mensagens, sugestões, idéias e tirar dúvidas, utilizando o que há de novo em termos de interatividade. O internauta poderá, inclusive, enviar fotos tiradas de seu celular e postar vídeos para ilustrar o comentário.

O portal também dará acesso direto a páginas de relacionamento do prefeito no Twitter, Orkut, Facebook, MySpace e BCYou. Este último vai permitir a troca de vídeos em tempo real, com a identificação geográfica de onde o internauta enviará suas imagens e sugestões a Eduardo Paes. Vale lembrar que o Rio é a primeira prefeitura do Brasil a utilizar a rede BCyou.com

Saiba mais sobre o Portal: http://www.palaciodacidade.rio.rj.gov.br

June 23, 2009

Caminhos do ensino superior

Filed under: Notícias — grazielamedeiros @ 07:46

Para que o ensino superior brasileiro se desenvolva com alto padrão de excelência, será preciso privilegiar a competência, fortalecer as estruturas decisórias das universidades e aumentar a articulação dessas instituições com o sistema federal de ciência e tecnologia.

Essas foram as principais conclusões dos debatedores reunidos na última sexta-feira (19/6), em São Paulo, no 15º Fórum Nacional-Consecti e Fórum Nacional-Confap.

Os palestrantes abordaram o tema “Ensino Superior e o Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia”, na sessão de encerramento do evento promovido pelo Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti) e pelo Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap).

De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), João Carlos Gomes, as universidades estaduais e municipais têm papel central no avanço do ensino superior no país – e, por isso, têm necessidade de mais recursos federais. […]

Segundo ele, essas instituições têm um grau de qualificação considerável: de um todal de 44.476 docentes, 39% são doutores, 32% são mestres, 22% são especialistas e 7% apenas graduados. Mas, embora aponte o apoio do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) em diversos programas importantes – especialmente na área de formação de profissionais –, Gomes destaca a necessidade de uma articulação que traga mais recursos federais. […]

Segundo a secretária de Ensino Superior do MEC, Maria Paula Dallari Bucci, o ministério vem fazendo um longo trabalho de institucionalização das universidades federais, que já estão bem preparadas do ponto de vista científico e acadêmico, mas ainda têm muito o que avançar em relação a articulações externas.

“Há boa relação com o setor público, incluindo o sistema de fomento institucionalizado pelas fundações de amparo à pesquisa. Mas é preciso explorar mais as áreas de extensão e inovação, isto é, a articulação com o meio externo”, afirmou.  “Na universidade, a pesquisa e a extensão têm uma zona de convergência que ainda não foi explorada. A institucionalidade atual é fragmentada e não se conecta com a extensão e a inovação, embora as universidades recebam bom volume de recursos. Temos pela frente o desafio da construção de uma nova institucionalidade: mais leve, mais inteligente e mais racional”, destacou.

Segundo a secretária, um dos principais problemas está relacionado à autonomia: a universidade ainda precisa responder a controles externos exercidos sem o conhecimento de suas práticas e de sua cultura.

O fortalecimento das estruturas decisórias da universidade por meio de órgãos colegiados, que são consolidados na área de pesquisa, ainda é extremamente necessário na área de extensão. A universidade precisa estabelecer seus próprios mecanismos de controle e transparência, demonstrando sua especificidade e sua dinâmica e cultura próprias, indicando claramente que dá conta de estabelecer ligações com o meio externo”, disse. […]

Fonte: Agência FAPESP 22/06/2009

Web 2.0 a serviço da democraia

Filed under: Fontes de Informação,Notícias — grazielamedeiros @ 07:41

Câmara dos Deputados lança portal para ampliar debate sobre projetos de lei com a sociedade

Se você já teve vontade de participar de uma sessão da Câmara dos Deputados, sugerir projetos ou alterar leis, esse desejo agora pode ser concretizado. Foi lançado em junho o e-Democracia, um espaço virtual que vai reunir informações e sugestões para os textos em tramitação na casa. A iniciativa permite ampliar a participação da sociedade na elaboração de leis, mas o acesso ao debate ainda não é totalmente democrático.

O portal e-Democracia, da Câmara dos Deputados, reúne diversas ferramentas de Web 2.0 para ampliar a discussão de projetos de lei com a população. O portal disponibiliza à população, entre outras ferramentas, uma biblioteca digital com estudos e projetos de lei, fóruns de discussão e uma interface colaborativa chamada Wikilégis, em que os internautas poderão elaborar versões das leis e até sugerir emendas aos projetos da Câmara. Especialistas, políticos e agentes do Estado atuarão como mediadores, ajudando a transformar as ideias discutidas no portal em projetos de lei.

Segundo o coordenador do projeto, Cristiano Ferri, integrante do Observatório de Práticas Legislativas Internacionais da Câmara, o portal surgiu da solicitação dos próprios parlamentares, que verificaram a necessidade de ampliar a discussão sobre os projetos desenvolvidos com a sociedade. “O site da Câmara tem fóruns e muitos deputados têm blogs, mas a informação fica difusa. O e-Democracia é uma ferramenta organizada, onde toda essa pluralidade pode ser convertida em algo concreto.”

Ferri ressalta que o portal oferece diversas possibilidades de participação direta da sociedade no processo legislativo. “Estudamos plataformas internacionais já existentes e desenvolvemos um projeto totalmente inovador”, afirma. Além das páginas gerais, o e-Democracia tem duas áreas restritas: o Espaço Cidadão, disponível para qualquer pessoa cadastrada que queira dar sua opinião; e as Comunidades Virtuais, onde apenas especialistas poderão discutir os temas com maior profundidade.

Web 2.0 a serviço da democracia
Para o jornalista e cientista político Juliano Borges, a página é ousada e tem a seu favor o amplo uso das ferramentas da Web 2.0, como os grupos de discussão e o caráter colaborativo, observado em especial na Wikilégis. “Em geral as experiências do governo na internet não costumam ser assim”, compara. “Páginas virtuais institucionais têm alguns espaços de abertura, mas esse portal oferece um envolvimento muito maior.”

O portal, lançado no dia 3 de junho, ainda é experimental. O primeiro tema a ser debatido é a Política Nacional de Mudança do Clima, que tem projetos em tramitação na Câmara. A partir dessa experiência, os organizadores pretendem fazer os devidos ajustes e ampliar as discussões no portal.

Fonte: Revista Ciência Hoje

June 10, 2009

Novo Kit de tradução do Google

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 04:58

O Google estreou, nesta terça-feira (09/06), um Kit de tradução que combina a tecnologia de tradução da empresa com ferramentas para a edição de conteúdos.

O produto Google Translate permite que os usuários traduzam textos e o conteúdo de sites para diversos idiomas. O novo kit de ferramentas ajudará também os usuários que desejam editar o texto traduzido, explica o diretor de engenharia da área de desenvolvimento e pesquisas do Google India, Prasad Ram.

A tecnologia de tradução do Google compara as características do texto no idioma original com as do idioma para o qual será traduzido.  A edição dos textos traduzidos com a nova ferramenta ajudará a tecnologia a ser mais precisa.

Graças a uma parceria com a Wikipedia, os usuários podem fazer o download de um artigo para a ferramenta, traduzi-lo em um idioma local com o Google Translate, corrigi-lo e depois publicá-lo na enciclopédia online.

Para os profissionais, o kit inclui ainda um dicionário, um glossário e outros recursos. Os arquivos podem ser privados ou compartilhados.

O kit de ferramentas foi criado na Índia para ajudar os usuários do país a acessarem conteúdos em seu idioma, mas dá suporte a 47 idiomas no total.

http://translate.google.com/toolkit

Fonte: IDG News Service, de Bangalore, de 09/06/2009.
Veja também o vídeo sobre

Google lança ferramenta destinada a usuários do Outlook

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 04:23

O Google apresentou um novo software para facilitar que profissionais que usam o Outlook da Microsoft troquem o serviço por seus produtos online de comunicações e colaboração.

O novo produto permite que profissionais continuem usando o Outlook para e-mail e outras tarefas, mas a base da funcionalidade e o armazenamento de dados seriam movidos para o Google, ao invés de serem mantidos nos servidores internos da empresa que usa software da Microsoft.

O produto Google Apps Sync para o Microsoft Outlook está disponível imediatamente no mercado, como parte da já existente versão Premier do Google Apps –que custa 50 dólares por assinante, mas também está acessível gratuitamente para usuários do setor de educação e não-lucrativos.

O gerente do setor de produtos do Google Chris Vander Way afirmou que o novo produto não sinaliza que a empresa está desistindo de seus esforços para convencer empresas a usarem seu e-mail, o Gmail.

“Vemos isso como uma forma de fornecer uma escolha para usuários que prefiram fazer as coisas do jeito antigo do Outlook”, disse Vander Way.

Fonte: Reuters, publicada no Jornal do Brasil

Schwarzenegger apuesta por la enseñanza con Facebook y Twitter

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 04:12

El gobernador de California presenta un plan escolar para sustituir los libros de texto por recursos didácticos digitales.- Pretende reducir así el gasto presupuestario

El gobernador de California, Arnold Schwarzenegger, ha presentado un plan de ahorro mediante la apuesta por la enseñanza on line en detrimento de los libros de texto tradicionales, según informa la BBC. Con esta iniciativa, el gobernador pretende reducir el gasto anual en millones de dólares. Además, añade que al privilegiar el estudio digital los alumnos conseguirán una mejor formación.

California afronta un agujero presupuestario de 24.300 millones de dólares y el gobernador Schwarzenegger ha desechado financiar contratos cerrados tras el 1 de marzo. Cada céntimo Schwarzenegger señala que actividades digitales como Facebook, Twitter y descargar contenidos para el iPod muestran que los jóvenes son los primeros en adoptar nuevas tecnologías on line, y por lo tanto Internet es también la mejor manera de aprender en las clases. Desde el comienzo del nuevo año escolar, en agosto, los estudiantes de ciencias y matemáticas en los institutos de California tendrán acceso a textos on line que han aprobado una revisión de estándares académicos. El gobernador sostiene que los libros de texto digitales se pueden adaptar fácilmente, de manera que el aprendizaje se mantiene al ritmo del progreso. La principal razón por la apuesta digital de Schwarzenegger, sin embargo, es el dinero, según añade la BBC. California destinó el año pasado 350 millones de dólares a los libros de texto y ya no puede permitírselo. De manera que la administración estatal está aplicando grandes recortes para afrontar el déficit presupuestario. El lunes, el gobernador firmó una orden ejecutiva para retirar la financiación de los contratos firmados desde el 1 de marzo y para evitar que las agencias estatales acuerden nuevos contratos. “Cada departamento y agencia estatal detallarán cómo han gastado cada céntimo de los contratos, para que así estemos seguros de que el Estado está consiguiendo lo mejor para cada dólar del contribuyente”, ha anunciado Schwarzenegger. El gobernador republicano ha descartado imponer subidas de impuestos para afrontar el déficit. Los votantes rechazaron el mes pasado un paquete de medidas del gobernador para hacer poner coto al agujero presupuestario.

Fonte: El País de 09/06/2009

June 4, 2009

Museu Exploratório de Ciências ganha prêmio

Filed under: Notícias — grazielamedeiros @ 02:39

A NanoAventura, projeto do Museu Exploratório de Ciências da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), ganhou o prêmio de Melhor Projeto de Popularização da Ciência e da Tecnologia da América Latina e Caribe, durante a 11ª Reunião da Red-Pop, realizada em Montevidéu, Uruguai, entre os dias 26 e 29 de maio.

“O prêmio é uma forma concreta de reconhecer o impulso que a NanoAventura representou para o museu, a partir do trabalho criativo de uma grande equipe engajada. Trata-se de um projeto que cresceu e que passou a atender milhares de jovens anualmente”, disse Adriana Vitorino, diretora educacional do Museu Exploratório de Ciências, presente no evento de premiação. O museu também ganhou a oportunidade de sediar a reunião da Red-Pop em 2011.

Desenvolvida por uma equipe de pesquisadores da Unicamp e do Laboratório Nacional de Luz Síncontron (LNLS), em parceria com o Instituto Sangari, a NanoAventura trabalha de forma lúdica e interativa o mundo da nanociência e da nanotecnologia, por meio do uso de diversas mídias.

Atualmente, a organização possui mais de 40 membros, de onze países da América Latina e do Caribe, que se reúnem a cada dois anos, para discutir e aprovar ações mútuas que beneficiarão a difusão dos projetos, por elas, desenvolvidos.

Museu Exploratório de Ciências: http://www.mc.unicamp.br

Fonte: http://www.agencia.fapesp.br/materia/10596/noticias/exploracao-exemplar.htm 

June 2, 2009

Editoras olham exemplo de gravadoras para transição digital

Filed under: Notícias — grazielamedeiros @ 09:05

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) – O setor editorial estuda o exemplo das gravadoras para combater a pirataria e tornar lucrativa a música digital, mas os chamados e-books devem acrescentar valor ao setor sem substituir os livros impressos, avaliam especialistas.

Em meio à crise econômica global, as editoras tentam lidar com a crescente demanda por conteúdo digital proporcionada por avanços tecnológicos como as plataformas de leitura digital Kindle, da Amazon.com, e Reader, da Sony.

Mas elas estão tirando lições com o exemplo das gravadoras, que viram uma mudança do público para a música digital em detrimento das vendas físicas. Os selos entraram com incontáveis processos para combater os espaços de distribuição livre de músicas ao mesmo tempo em que tentam lucrar com a distribuição digital de canções.

“Nosso objetivo não é criticar o setor de música… mas eles realmente erraram tudo”, disse Andrew Albanese, editor da Publisher’s Weekly, em um painel de discussões na recente Book Expo America, em Nova York.

Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired, afirmou no painel que a Internet quebrou o modelo tradicional de distribuição física de músicas e que a mesma coisa está acontecendo agora com o mercado editorial.

Ele acrescentou, no entanto, que, se a popularidade do formato MP3 é acompanhada por uma rejeição do público aos CDs, “a diferença é que não há nada de errado com os livros”. “O livro não é um meio que retira valor, e sim um meio com valor agregado.”

“Ao longo do tempo (os e-books) tendem a aumentar e colaborar com o sucesso do livro, em vez de substituí-lo”, acrescentou.

Enquanto o setor de música brigou na Justiça com espaços de distribuição livre de canções como o Napster e o Kazaa, Jared Friedman, cofundador da página de publicação social Scribd, se diz otimista com a transição no setor editorial.

“Parece que nós vamos diretamente de um modelo Adams para um modelo iTunes, pulando os vários anos de Napster e Kazaa que o setor musical teve no meio”, avaliou.

A loja virtual iTunes, da Apple, domina as vendas de música digital, mas Friedman afirmou que é importante que as editoras encorajem um modelo de mercado mais competitivo.

“Está claro agora que haverá demanda suficiente para livros distribuídos digitalmente, que haverá um mecanismo digital de distribuição de livros”, disse. “Se nós conduzirmos corretamente a transição, o modelo eletrônico pode até render mais que o modelo impresso.”

Mas o executivo-chefe da Penguin USA, David Shanks, e a presidente, Susan Kennedy, ainda estão atentos à pirataria de livros digitais. A Penguin é de propriedade do grupo editorial britânico Pearson.

“O que mais nos assusta é a noção de algumas pessoas de que tudo deveria ser grátis”, disse Kennedy à Reuters na Book Expo.

Shanks acrescentou: “O setor ainda sente que precisa de algum tipo de gestão de direitos digitais”.

Fonte: Notícia publicada na Editora Abril em 02/06/2009 

http://www.abril.com.br/noticias/tecnologia/editoras-olham-exemplo-gravadoras-transicao-digital-411110.shtml

May 29, 2009

Palestra Luis Fernando Sayão na UFSC

Filed under: Notícias — grazielamedeiros @ 03:45

O Programa de Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica ? PósDesign.UFSC, em parceira com a Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFSC convida para a Palestra do Dr. Luis Fernando Sayão, Do MCT / Comissão Nacional de Energia Nuclear, sobre o tema PRESERVAÇÃO DIGITAL.  A palestra se realizará na Sala dos Conselhos da UFSC, no prédio da Reitoria, às 14:30 horas do próximo dia 01.06.2009, segunda-feira.  

Currículo Lattes de Luís Sayão: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4783980P5

Next Page »

Blog at WordPress.com.