Graziela Medeiros

May 31, 2009

An Introduction to MultiAgents Systems

Filed under: Fontes de Informação,Recuperação da Informação — grazielamedeiros @ 13:55

Livros sobre “Agentes inteligentes” disponível on-line. Todos os capítulos estão on-line, inclusive ppts sobre os capítulos. Idioma: Inglês.

Título: An Introduction to MultiAgents Systems: second Editions
Autor: Michael Woold

Descrição: Multiagent systems are a new paradigm for understanding and building distributed systems, where it is assumed that the computational components are autonomous: able to control their own behaviour in the furtherance of their own goals. The first edition of An Introduction to Multiagent Systems was the first contemporary textbook in the area, and became the standard undergraduate reference work for the field. This second edition has been extended with substantial new material on recent developments in the field, and has been revised and updated throughout. It provides a comprehensive, coherent, and readable introduction to the theory and practice of multiagent systems, while presenting a wealth of discussion topics and pointers into more advanced issues for those wanting to dig deeper.

Link: http://www.csc.liv.ac.uk/~mjw/pubs/imas/IMAS2e.html

Table of Contents:

Part I Setting the Scene

Chapter 1 Introduction

Part II Intelligent Autonomous Agents

Chapter 2 Intelligent Agents
Chapter 3 Deductive Reasoning Agents
Chapter 4 Practical Reasoning Agents
Chapter 5 Reactive and Hybrid Agents

Part III Communication and Cooperation

Chapter 6 Understanding Each Other
Chapter 7 Communicating
Chapter 8 Working Together
Chapter 9 Methodologies
Chapter 10 Applications

Part IV Multiagent Decision Making
Chapter 11 Multiagent Interactions
Chapter 12 Making Group Decisions
Chapter 13 Forming Coalitions
Chapter 14 Allocating Scarce Resources
Chapter 15 Bargaining
Chapter 16 Arguing
Chapter 17 Logical Foundations

May 30, 2009

Aula sobre índices e tesauros de bases de dados: SCOPUS, Compendex, Biological Abstracts

Filed under: Organização da Informação — grazielamedeiros @ 02:53

Slide sobre uma aula da disciplina “Indexação” do Curso de Graduação em Biblioteconomia da UFSC. O Slide foi criado por mim para apresentar aos alunos durante o “Estágio de Docência” do Curso de Mestrado em Ciência da Informação, efetuado em 2008, sob orientação da Dra. Lígia Café.

O Slide apresenta os resursos de recuperação da informação como tesauros e índices nas bases de dados: SCOPUS, COMPENDEX e Biological Abstracts.

May 29, 2009

Wiki Fontes de Informação

Filed under: Fontes de Informação — grazielamedeiros @ 03:48

Venho selecionando Fontes de Informação na área de Ciência da Informação e colocando em um site (Wiki). Agora  resolvi permitir acesso a Wiki, claro com os links mais organizados e selecionados. O objetivo principal é divulgar fontes de informação (sites, bibliotecas digitais, bases de dados, portais, periódicos científicos, respositórios, além de textos científicos) sobre Ciência da Informação e áreas afins.

 Wiki – http://grazielammedeiros.wikidot.com/start

Palestra Luis Fernando Sayão na UFSC

Filed under: Notícias — grazielamedeiros @ 03:45

O Programa de Pós-Graduação em Design e Expressão Gráfica ? PósDesign.UFSC, em parceira com a Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFSC convida para a Palestra do Dr. Luis Fernando Sayão, Do MCT / Comissão Nacional de Energia Nuclear, sobre o tema PRESERVAÇÃO DIGITAL.  A palestra se realizará na Sala dos Conselhos da UFSC, no prédio da Reitoria, às 14:30 horas do próximo dia 01.06.2009, segunda-feira.  

Currículo Lattes de Luís Sayão: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4783980P5

Folksonomies, Taxonomies and classification

Filed under: Organização da Informação — grazielamedeiros @ 03:44

O trecho abaixo é de um texto da ISKO sobre Folksonomies, Taxonomies and classification. Interessante a conclusão do artigo: “Folksonomies are a new, rapidly evolving approach to classification of digital objects. Much has still to be discovered and tested“.

Esse é um assunto relativamente recente na área de Ciência da Informação (e em outras) e necessita de relfexão, discussão e pesquisa científica. No caso das Folksonomias penso que são úteis para interção em softwares, sites e plataformas com conteúdos diversos, mais será que são suficientes para dar conta do conteúdo científico, principalmente no que tange aos periódicos científicos?  E os vocabulários controlados tão estudados na Ciência da Informação? Vale a pena pensar sobre e ver o artigo na íntegra..Segue o trecho:

“Folksonomies are not a theory or a top-down strategy: they were born out of a feature (folk classification tools) introduced by software like Del.icio.us <http://del.icio.us>, Flickr <http://www.flickr.com>, 43things <http://www.43things.com>, Furl <http://www.furl.net>, Technorati <http://www.technorati.com

 Folksonomies are not simply visitors tagging something for personal use: they also are an aggregation of the information that visitors provide. The power of folksonomy is connected to the act of aggregating, not simply to the creation of tags. Without a social distributed environment that suggests aggregation, tags are just flat keywords, only meaningful for the user that has chosen them. The power is people here. The term-significance relationship emerges by means of an implicit contract between the users”

Texto íntegra: http://www-dimat.unipv.it/biblio/isko/doc/folksonomies.htm#overview

Academia.edu

Filed under: Fontes de Informação — grazielamedeiros @ 03:39
 Links:   http://www.academia.edu/  – http://ufsc.academia.edu/ 

Site que permite contactar e seguir representantes da academia de todo o mundo (docentes e alunos). O site foi indicado pela professora Lídia, da Universidade de Avieiro/Portugal, em sua recente visita a UFSC.

Um pequeno passo na estrada da informação

Filed under: Notícias,Tecnologias — grazielamedeiros @ 03:00
RIO – O Brasil atingiu este mês a impressionante marca de 60 milhões de computadores em uso, tanto no mercado corporativo quanto no doméstico. Significa dizer que, seja em casa ou no trabalho, um em cada três brasileiros tem acesso a um computador. O peso desse dado, colhido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), fica ligeiramente mais leve quando se leva em consideração outro estudo, divulgado em março pelo Fórum Econômico Mundial, que classificava o Brasil em 59º lugar no ranking anual que mede a disponibilidade e o uso de tecnologias de informação e comunicação (como o acesso a telefones celulares e serviços de internet). Ao que parece, o brasileiro tem cada vez mais acesso às máquinas, mas ainda está longe do mundo virtual proporcionado pela grande rede – seja pelo preço cobrado pela operação, pela baixa qualidade da telecomunicação oferecida ou pela total indisponibilidade do serviço em muitas regiões.

De acordo com a 20ª Pesquisa Anual da FGV, realizada pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (Eaesp), a base ativa instalada no país era de 50 milhões de computadores no ano passado. A previsão é de que o número de terminais em uso no país deve chegar a 100 milhões ao longo de 2012, o que representará média de um computador para cada dois habitantes – estatística comparável à de países desenvolvidos.

O estudo, realizado com 5 mil empresas de grande e médio porte, mostra ainda que as companhias brasileiras gastam cerca de 6% da receita líquida com Tecnologia da Informação (TI), o dobro em relação há 12 anos. E mesmo em face à crise econômica mundial, não há sinais de que o setor de TI vá encolher, de acordo com os responsáveis pela compilação dos dados da pesquisa. No varejo, aliás, percebe-se que o setor de eletroeletrônicos das grandes lojas é forte puxador de vendas, mesmo entre as classes menos favorecidas. Confirma-se, portanto, a tendência de que cada vez mais brasileiros manuseiem computadores de mesa, notebooks e palmtops.

Fonte: Jornal do Brasil

Create a free website or blog at WordPress.com.